Empresas já falam sobre paternidade ativa


Já é uma realidade: as empresas estão se preocupando com a o tema da Paternidade Ativa.

No dia 12 de agosto de 2019 a empresa Cognizant me convidou para debater e discutir o tema da Paternidade com seus funcionários em uma ação dos dias dos Pais.

Qual o papel do homem na paternidade? Qual a nova visão das empresas sobre a paternidade? Como as empresas podem ajudar na reconstrução da visão de homem do século XXI?

Minha Visão:

O assunto é novo e como tudo que é novo, encontraremos obstáculos a serem identificados e superados. Ainda o tema se encontra em seu estágio embrionário, muitas vezes no âmbito dos profissionais de RH, assim como aconteceu com a revolução feminista, dos Negros e dos LGBT+. Mas, ao meu ver, é o local certo e mais adequado para se iniciarmos as novas quebras de paradigmas. É através desses profissionais, que estão relacionados intimamente ao bem de todos, que devemos caminhar nessa jornada da mudança de paradigmas.

As empresas estão se sensibilizando com os números alarmantes encontrados, principalmente, sobre a saúde dos homens, e assim como, trazendo a discussão desse novo homem; damos sequencia e abrindo novos espaços para as discussões de gênero, preconceitos, saúde mental e outros igualmente importantes para a vida saudável dos funcionários.

Pais e futuros pais debatendo: Que tipo de Pais queremos ser?

Foram dois bate papos muito gostosos, enriquecedores e prazerosos. Fui recebido com todo carinho e abertura para expor meu ponto de vista e minhas ideias sobre esse novo homem do século XXI.

Hoje trabalho, principalmente, em casa. Tornei-me um HDM (HOME DEVELOPMENT MANAGER em tradução livre “Gerente de Desenvolvimento Doméstico”, mais conhecido no século XX como Dono de Casa). Superei muito desafios, principalmente os pessoais e os medos sociais que tinha para que hoje pudesse me dedicar, integralmente, aos afazeres domésticos e na educação de meus filhos.

Não foi fácil essa jornada, mas hoje entendo que o prazer da caminhada e a superação desses preconceitos sociais e pessoais me tornaram um homem melhor e mais feliz.

Vamos começar essa nova discussão. Contem comigo.

Abraços e beijos nas crianças.

Tags:, , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *